MR. CATRA – EU APOIO O BRASIL PRECISA CONHECER O AUTISMO

MR.CATRA EU APOIO -O BRASIL PRECISA CONHECER O AUTISMO


MR. CATRA entra na campanha Eu Apoio – O Brasil Precisa Conhecer o Autismo afirmando a importancia de conscientização e informação.
MR. Catra é filho de Manoel e Elza Costa, nasceu e foi criado no Morro do Borel, no bairro da Tijuca, na Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro.
É filho de criação de Edgar Marcos Molina, primo de João Luiz Duboc Pinaud, Secretário Estadual de Direitos Humanos do Rio de Janeiro.
Reside no bairro da Glória, no Centro da cidade, Catra se converteu ao judaísmo após uma visita ao Muro das Lamentações.
Na década de 1980 frequentou o Colégio Pedro II (Unidade Tijuca), onde, de acordo com ele, teria atuado como líder estudantil. Participou da reabertura do Grêmio Estudantil. Em meados da década, como guitarrista, montou uma banda de rock denominada O Beco, que chegou a fazer um relativo sucesso em festas particulares, escolas e faculdades.
Na década de 1990, em parceria com o ex-VJ da MTV, o paulista Primo Preto (que havia lhe conseguido um contrato com a Zâmbia Records, gravadora independente de São Paulo, responsável pelos primeiros discos dos Racionais MC’s), criou a empresa Rapsoulfunk, como gravadora, grife de moda e organizadora de bailes funk e shows de hip hop no Rio de Janeiro e em São Paulo.
Em 1995, lançou seu primeiro disco “O Bonde dos Justos”, emplacando o hit “Vida na cadeia”. As canções de temas fortes chamaram a atenção da Warner Music que lançou, em 1999, o CD “O fiel”.
No ano de 2001, juntamente com MV Bill, lançou o Partido Popular Poder para a Maioria (PPPomar), o qual abandonou no ano de 2002 por divergências com Celso Athayde, proprietário da Produtora Hutus e empresário de MV Bill e dos Racionais MC’s. Ainda em 2002 foi indiciado por apologia ao crime, devido às letras de suas músicas, pricipalmente a da composição “Cachorro”, um de seus maiores sucessos, que versa sobre policiais corruptos. Sobre o assunto ele esclareceu posteriormente em entrevista: “Não sou cúmplice do crime, sou cúmplice da favela. Não estou fazendo apologia ao crime, estou é relatando uma realidade.”[carece de fontes?]

Em 2004 a Rapsoulfunk foi responsável pela contratação de artistas do universo hip hop para o “Festival Hip Hop Manifesta”, o principal da América do Sul. O evento aconteceu no Riocentro e entre os nomes internacionais contratados destacaram-se os rappers estadunidenses Snoop Dogg e Ja Rule.

Suas composições estão incluídas na série de CDs piratas “Proibidão do rap”, ao lado de músicas que enaltecem o Comando Vermelho, uma das facções criminosas do Rio de Janeiro. Sobre essas gravações, certa vez declarou em entrevista ao Jornal do Brasil: “Aquilo não era nem pra ser gravado e comercializado. Simplesmente vamos aos bailes, às rádios e cantamos com a rapaziada.
Valeu

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: